A nossa felicidade está intimamente ligada com os que estão ao nosso redor – nossa família, amigos, colegas e conhecidos.
Como humanos temos a qualidade de formar relações. É através dos nossos relacionamentos que damos e recebemos apoio emocional, favorecemos o nosso desenvolvimento e aumentamos as hipóteses de sobrevivência.

 

A importância dos Relacionamentos

Existe evidência científica que a capacidade de formar relações está interligada com o nosso cérebro e numa perspectiva evolucionista muitas das nossas emoções como o amor, a vergonha e a culpa têm uma forte componente social de manter-nos conectados com os nossos grupos sociais e permitem-nos alcançar mais através de um esforço cooperativo.

 
As relações são uma das partes mais complexas das nossas vidas. Elas exigem tempo, atenção e energia emocional mas não oferecem garantia de retorno. Há alturas que sentimos totalmente em comunhão com a pessoa amada e outras alturas que sentimos que temos uma relação mundana ou até gasta. Todavia as relações são orgânicas, não podem nem devem permanecer estáticas pois são altamente sensíveis às marés da vida.

 

 
Uma relação pode correr às mil maravilhas e procuramos viver com esses sentimentos confortáveis e fáceis. Mas a verdadeira substância de um relacionamento vai mais além, compreende material muito mais resistente que consiste em descobrir as vulnerabilidades do próprio e do outro num processo profundo e por vezes desconfortável. É nestas alturas que crescemos e transformamos a relação – mais fortalecida e significativa para a nossa vida.

 

Os estádios dos Relacionamentos Positivos

Existem três estádios envolvidos no desenvolvimento e manutenção de relacionamentos saudáveis e positivos:

  1. Conhecer o seu modelo de relacionamento, ou seja, as suas crenças e suposições que guiam as suas interacções com os outros;
  2. Fazer escolhas sábias no relacionamento;
  3. Desenvolver capacidades para alcançar e melhorar a intimidade.

 

 

Como são as Relações Positivas?

Um relacionamento pode ser criado e recriado durante a sua duração. Como resultado, não pode existir uma definição universal da relação ideal – o que resulta com uma pessoa, um casal ou grupo pode ser diferente para outro.

 

Porém, boas relações parecem partilhar certas características, tais como:

  • • Respeito mútuo;
  • • Igualdade de direitos e responsabilidades;
  • • Aceitação das limitações de cada um;
  • • Mais interacções positivas que negativas;
  • • Resolver problemas de modo rápido e eficaz;
  • • A capacidade de comprometer nos aspectos práticos do dia-a-dia;
  • • Nunca ter de comprometer os seus valores fundamentais;
  • • Alcançar um equilíbrio entre o tempo que passam juntos e o tempo que estão afastados.

 

Pense nos seus relacionamentos. Quantos deles têm estas características?

 

Como Construir Relações Positivas

 

Existem aptidões essenciais que podem ajudar a fomentar relacionamentos saudáveis e positivos:

1. Ser responsável

Ser responsável significa conhecer que tipo de pessoa quer ser nos seus relacionamentos. Saiba o que tem para dar e o que pode esperar em retorno e tenha a certeza que a outra pessoa sabe disso. É da sua responsabilidade saber e dar a conhecer aos outros o que é mais importante para si.
Inclui responsabilizar-se pelas suas acções dentro da relação – incluindo dificuldades que possa ter. Claro que isto é mais fácil de alcançar se for honesto para consigo desde o início da relação. Quanto mais aberto estiver ao outro, mais fácil será negociar certas áreas da vida, em direcção de uma visão de um futuro compartilhado.

 

2. Estilos de pensamento positivo

É necessário desenvolver um estilo de pensamento que permita-nos estar mais equilibrados e que possamos tomar boas decisões. É tão fácil errar sobre os sentimentos, intenções e comportamentos dos outros – assumimos que sabemos quando de facto não sabemos. Ao mal-interpretar as intenções dos outros causamos sofrimento e stress na relação.

 

3. Ouvir um ao outro

Escutar não é tão fácil como parece. Especialmente numa relação de longa duração em que entramos em piloto automático, ouvindo o outro mas com a nossa mente noutro lugar. Mas quando escutamos com sinceridade e atenção ficamos a conhecer o outro a um nível muito mais profundo. Tente ouvir e dar feedback sem criticar ou julgar. E porque todos nós gostamos de ser ouvidos, faça questão de também falar o que sente nas mesmas condições.

 

4. Manifeste o seu apreço

Expressar a sua gratidão no seu relacionamento tem a capacidade de o transformar. Agradeça à sua cara-metade, seus amigos e colegas quando eles façam algo que aprecia ou algo que faça uma diferença positiva na sua vida – especialmente os pequenos gestos (às vezes são os que têm maior impacto). Feedback positivo molda comportamentos de forma mais eficaz que o feedback negativo e permite que o outro sinta-se valorizado e apoiado nos seus esforços. Expressar gratidão não só vai fazer com que se aproximem mais mas como também poderá ser mais fácil abordar e resolver temas difíceis.

 

5. Lidar com as dificuldades

A capacidade de lidar com as insatisfações é vital num relacionamento. As relações bem-sucedidas não são aquelas que não têm conflitos mas sim aquelas em que ambas partes são capazes de resolver as suas diferenças de modo rápido e eficaz.
Em situações de conflito é fundamental diferenciar o que são críticas e o que são reclamações. Reclamar envolve uma descrição do comportamento que não gosta, enquanto que criticar é um ataque ao outro. Geralmente, as personalidades não mudam mas o comportamento sim. Deste modo evite criticar a outra pessoa e foque no que ela pode fazer de diferente. Diga especificamente o que pretende para que o outro tenha a ideia clara do que é exigido dele. Isto ajuda a compreender que o problema não está na pessoa mas sim no comportamento.

 

6. Arranje tempo para o seu relacionamento

Quaisquer outras prioridades que tenha na vida, faça a sua relação uma delas, garantindo que há alguma qualidade de tempo para os dois – seja uma relação intima ou uma relação social importante. Pense nas relações que tem e que tipo de atenção cada uma precisa. Pode envolver frequência e actividades diferentes. Este tempo lembra-nos que não podemos tomar a outra pessoa como garantida e oferece uma oportunidade de ouvir, de aprender e partilhar experiências divertidas que ajudam-nos a conectarmos mais com os outros.

 

Conclusão

Os relacionamentos são sempre um trabalho em progresso e requer compromisso, perseverança e renovação constante. Os melhores relacionamentos não são os que evitam o conflito mas sim os que dão espaço para crescimento e mudança. Os relacionamentos dão-nos uma dimensão única de crescimento porque através deles nos perdemos e nos encontramos tantas vezes.

Eles convidam-nos a sermos quem somos e também a transcender o que somos, fundindo com algo maior que nós mesmos enquanto indivíduos.

 

Daniela Esteves, psicóloga WeCareOn