Muitos pais preocupam-se excessivamente com as notas dos seus filhos em detrimento das suas emoções e capacidades de socialização. Está errado!

 

A criança pode até não ser um aluno com notas de excelência. Mas se é sociável, se tem muitos amigos e brinca muito, se faz barulho, questiona ao ponto de deixar os pais de cabelos em pé, então é uma criança feliz e saudável e isso é o primeiro passo para ser um adulto feliz!

 

Existem vários estudos científicos que explicam diferentes fatores na infância, que influenciam positivamente o crescimento e por si e aumentam a probabilidade de se tornarem adultos felizes.

 

Em muitos destes estudos, o fator mais presente foi a socialização prazerosa da criança e do adolescente com os seus pares, família, professores, prática de atividades que permitam socializações prazerosas e por fim a forma como é tratada pela família e pela comunidade em geral onde está inserida.

 

Toda esta informação vai estar intimamente ligada ao seu nível de autoestima e autoconceito. E por isto, se considerada uma criança feliz, certamente será um adulto resiliente e feliz! O que é vivido na infância, molda as características da personalidade do adulto.

 

Lembro que ter uma infância feliz, não é avaliado de forma linear, porque os níveis de felicidade variam com a idade e contextos vividos.Sendo assim importante a atenção dos pais para a forma como a criança/adolescente se desenvolve.

 

Porque criar crianças felizes nem sempre é fácil, deixo aqui algumas dicas de como criar crianças felizes na expectativa de termos mais adultos felizes e confiantes.

 

 

Como educar Crianças Felizes?

 

  1. Seja presente em todas as atividades.

As crianças gostam da companhia dos pais em todas as rotinas e principalmente nas brincadeiras. Isto porque se sentem em segurança e abrem espaço à sua criatividade que, gera saúde psicológica.

 

  1. Seja o exemplo.

Uma criança que convive diariamente com a agressividade dos pais e outros intervenientes em tenra idade, por exemplo, tende a ser agressiva com os seus pares. Seja um exemplo de positividade.

 

  1. Permita a auto compreensão.

Cabe ao adulto, incentivar a reflexão sobre si próprio, quanto ao que sente e porque sente. É uma forma eficaz de ajudar a criança/adolescente e futuro adulto a olhar para dentro de si próprio e compreender-se melhor.

 

  1. Permita a Liberdade.

É saudável que as crianças experienciem coisas novas, situações novas. De nada adianta impedir que as vivam porque parece perigoso ou simplesmente porque não se sente confortável em deixar ir. Deixe! Um dos fatores de crescimento mais importante é a vivências de novas experiências facilitadoras de conhecer realidades diferentes.

 

  1. Olhe pela sua saúde mental.

A saúde mental dos pais, influencia diretamente a estabilidade emocional das crianças. É importante que estas tenham pais felizes e positivos, que lhes transmitam segurança e reforços positivos.

 

  1. Oiça a sua criança/adolescente.

O diálogo é fundamental, permite raciocínio e argumentação. Se lhe for permitido dialogar, discordar/concordar e argumentar no contexto família, facilmente lidará com situações de oposição nas suas relações sociais.

 

  1. Ninguém é perfeito.

As capacidades cognitivas, relacionais, emocionais, entre outras, devem sempre ser reforçadas de forma positiva. Uma criança muito reprimida e pressionada por não ser melhor do que as suas expectativas em determinadas áreas, será um adulto inseguro e ansioso.

 

Se precisar de mais conselhos de como educar crianças felizes, marque uma consulta no meu perfil: 

Marcar Consulta

 

 

 

Marisa Pereira – Psicologa @WeCareOn