“Os problemas significativos que se nos deparam não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando os criámos!” (Albert Einstein).

Transformar paradigmas enraizados no nosso inconsciente em princípios conscientes e condutores é o desafio para o crescimento pessoal.

Ora, o primeiro passo para esta mudança assenta no seguinte processo sequencial:
> Visão analítica de Fora (o que nos rodeia) para Dentro (os paradigmas);
> Identificação dos problemas;
> Percepção de que a resolução NÃO está em factores externos a nós;
> Necessidade de passar de um nível superficial para um nível mais profundo;
​> Visão analítica de Dentro para Fora: reconhecimento dos paradigmas, definição de metas, princípios a desenvolver para as alcançar.

Stephen Covey no seu livro “Os 7 hábitos das Pessoas Altamente Eficazes’’, dá os seguintes exemplos da relação TER (metas) – SER (princípios):

se EU quero (…) – logo EU devo (…)

TER um Casamento feliz – SER capaz de gerar energia positiva, afastando más vibrações
TER um Filho adolescente cooperante – SER compreensivo, solidário, coerente, carinhoso
TER Liberdade – SER responsável, generoso, envolvido
TER Confiança alheia – SER digno de confiança
TER Reconhecimento – SER digno de carácter.

A diferença está em centrar-nos em nós, ao nível da nossa identidade, jamais culpabilizando factores externos ou terceiros por não alcançarmos o que desejamos. Quão recorrente é um casal tentar solucionar divergências culpabilizando-se um ao outro, focando-se nos defeitos um do outro e consequentemente tentando moldar o outro conforme modelos pré estabelecidos pelos seus paradigmas pessoais; caem facilmente num sentimento de fracasso e frustração, quebrando laços em clima de mágoa e desconfiança, criando um afastamento, muitas vezes irreversível, acomodando-se a um casamento infeliz.

A abordagem “Dentro para Fora”, de análise do EU, privilegia o processo de desenvolvimento pessoal com vista a conquistas pessoais antes de mais e, através da espiral ascendente de amadurecimento pessoal, alcançar então vitórias ao nível da independência responsável (vitórias no relacionamento com os outros, conquistando o seu lugar como membro integrante da sociedade) e interdependência efectiva (relações pessoais de sucesso e enriquecedoras para ambas as partes).

Percebemos então que para TER precisamos SER em consonância. SER, em CARÁCTER. Para “colher” um CARÁCTER, temos de “semear” o HÁBITO.

“Plante um pensamento, colha uma acção; plante uma acção, colha um hábito; plante um hábito, colha um carácter; plante um carácter, colha um destino.” (Stephen Covey)

Marisa Mendes – Coach @WeCareOn