In√ļmeras vezes o paciente procura um Psic√≥logo/ Psicoterapeuta por uma queixa emocional e no decorrer da psicoterapia, e com alguma admira√ß√£o diz que desde que come√ßou a sua jornada de autoconhecimento, deixou a medica√ß√£o para as alergias ou para as dores de costas, e que raramente fica doente. sentir

 

Frequentemente quando a mente n√£o sente, n√£o pensa, o corpo fala…

Quero com isto falar um pouco de somatização, ou seja, da influência psicológica no adoecer somático.

S√£o algumas as doen√ßas psicossom√°ticas, que mais se manifestam. Como afirma Marco da Silva (2000) as doen√ßas cl√°ssicas, em maior preval√™ncia s√£o:¬† √ļlcera, bronquite asm√°ticas, hipertens√£o arterial, enxaqueca e a artrite reumatoide.

Uma das maiores causas para isso suceder √© a incapacidade da pessoa de expressar e transmitir emo√ß√Ķes e sentimentos.

Chamo a aten√ß√£o para o facto de todos n√≥s somatizarmos, umas vezes mais, outras menos, com maior ou menor intensidade. Um exemplo disso √© que quando estamos nervosos, as nossas m√£os come√ßam a transpirar, o cora√ß√£o a palpitar, ou as dores de cabe√ßa que nos assombram quando algo nos preocupa excessivamente. Isso s√£o pequenos exemplos, pois em certas pessoas pode tomar grandes propor√ß√Ķes.

 

 

Marco da Silva (2000) apresenta os dist√ļrbios psicossom√°ticos mais comuns.

  • Dist√ļrbios respirat√≥rios: asma, rinite, febre dos fenos;
  • Dist√ļrbios do aparelho digestivo: √ļlcera, doen√ßas do c√≥lon;
  • Doen√ßas de pele;
  • Doen√ßas das articula√ß√Ķes e musculares: artrite reumatoide, fribrosite;
  • Dist√ļrbios end√≥crinos: hipertiroidismo, diabetes;
  • Doen√ßas cardiovasculares: hipertens√£o arterial, doen√ßa das art√©rias coron√°rias, acidentes vasculares cerebrais, enxaquecas;
  • Dist√ļrbios do aparelho reprodutor feminino: aus√™ncia de menstrua√ß√£o ou menstrua√ß√£o escassa, c√≥licas menstruais, tens√£o pr√©-menstrual, perturba√ß√£o da menopausa.

 

√Č importante salientar que, estas patologias podem desenvolver-se a partir de um estado de sofrimento ou desassossego interior, mas √© importante trat√°-las primeiramente como uma doen√ßa f√≠sica. A psicoterapia poder√° servir para descobrir a origem desse sofrimento interior e ao trabalhar nas sess√Ķes os diversos bloqueios, melhorar a qualidade de vida do paciente e em alguns casos a doen√ßa entrar em remiss√£o.

 

O significado simbólico da dor, a dor é um sintoma e como todos os sintomas representa algo, ou seja, acarreta uma componente simbólica que transcende a uma mera relação de causa e efeito.

 

De seguida irei relatar genericamente algumas características dos pacientes que desenvolvem algumas destas patologias. Tais como: Artrite reumatoide; Enxaqueca e Doenças alérgicas e da pele:

 

  • Artrite Reumatoide ‚Äď √© uma doen√ßa que atinge as articula√ß√Ķes e os m√ļsculos vizinhos. No seu perfil psicol√≥gico os pacientes tendem a ter uma agressividade latente, e a controlar o meio que os cerca. T√™m um gosto pela autoridade e moralidade.

 

Marco da Silva (2000), apresenta algumas características daqueles que sofrem desta doença. São elas:

  • Maioria mulheres;
  • Perfeccionistas e cheios de moralidade;
  • Esp√≠rito de sacrif√≠cio;
  • Tend√™ncia para a atividade f√≠sica, s√£o trabalhadores e/ou grandes desportistas;
  • Apresentam alguma dificuldade em estabelecer rela√ß√Ķes satisfat√≥rias com pessoas pr√≥ximas;
  • Dificuldade em expressar emo√ß√Ķes;
  • Enxaqueca ‚Äď √© provavelmente a queixa mais habitual que, aparece em consult√≥rio. As dores de cabe√ßa est√£o associadas e tal como a express√£o o diz ‚ÄúDor de Cabe√ßa‚ÄĚ a algum aborrecimento ou problema.

 

Quando exclu√≠das causas org√Ęnicas, as enxaquecas podem estar associadas a rela√ß√Ķes pouco satisfat√≥rias, consigo mesmo ou com os outros. A ansiedade e/ou depress√£o tamb√©m podem ser uma causa. Em alguns casos, a dor de cabe√ßa pode mascarar uma depress√£o.

A enxaqueca em muitos dos casos pode estar relacionada com a falta de express√£o de emo√ß√Ķes e conflitos n√£o resolvidos.

  • Doen√ßas al√©rgicas ‚Äď A asma, a rinite, as dermatites tamb√©m ‚Äúguardam √≠ntima rela√ß√£o com as emo√ß√Ķes‚ÄĚ (Silva, 2000, p.181). Geralmente, segundo o autor, quem apresenta estas doen√ßas costuma ter uma rela√ß√£o conflituosa com uma figura materna pouco amorosa, controladora e dominadora.

A pele √© o que mant√©m contacto com o exterior, ent√£o √© muitas vezes utilizada por expressar emo√ß√Ķes que a pessoa n√£o expressa verbalmente.

 

 

Marco da Silva (2000), no seu livro ‚ÄúQuem Ama N√£o Adoece‚ÄĚ refere tr√™s dist√ļrbios da pele que associa com estados psicol√≥gicos:

  • Suor em demasia – exprime geralmente um estado de ansiedade;
  • O Corar – geralmente aparece em pessoas que temem mostrar os seus sentimentos, ent√£o exprimem de forma involunt√°ria;
  • A palidez – normalmente exprime sofrimento.

Geralmente as pessoas que apresentam estas caracter√≠sticas, foram ¬†¬†¬†muito superprotegidas na sua inf√Ęncia.

√Č importante ouvir o que o seu corpo lhe tenta dizer. S√£o muitos os casos que encontro nas consultas, em que o organismo leva anos a dar sinais, com alguma dor, doen√ßa.¬† Muitas vezes estes pacientes recorrem a muitos m√©dicos e nada resolve a sua patologia, at√© que certo dia, o corpo cansado de dar sinais e de n√£o ser escutado, pois geralmente procura uma mudan√ßa de conduta, mudan√ßa de comportamento, ou alguma pondera√ß√£o na sua vida (mudan√ßa ainda inconsciente para a pessoa, mas consciente para o organismo). Podem ser in√ļmeras as causas, e quando o corpo cansado chega ao limite, podem aparecer os sintomas psicol√≥gicos, tais como ansiedade, depress√£o, fobias…

A Psicoterapia √© uma interven√ß√£o adequada (n√£o descuidando os cuidados m√©dico prim√°rios) pois promove o autoconhecimento, ajuda a pensar e a sentir, a exprimir … a decifrar o sentir do corpo e dar-lhe voz. sentir sentir sentir

 

Termino com uma frase do livro ‚ÄúQuem Ama N√£o Adoece‚ÄĚ : ‚Äú(…)quem n√£o foi amado de forma adequada e/ou insuficiente frequentemente n√£o consegue amar. N√£o amando, ser√° infeliz e o corpo, adoecendo, ser√° o palco para dar vaz√£o e comunicar aos outros o seu sofrimento‚ÄĚ (Silva, 2000, p.184).

 

(Silva, M. (2000). Quem Ama N√£o Adoece. Pergaminho

 

*Artigo de opini√£o ‚Äď Psic√≥loga e Psicoterapeuta Vilma Ribeiros

 

Entra em contacto comigo!

 

Vilma Ribeiros –¬† Psic√≥loga Cl√≠nica e Psicoterapeuta @ WeCareOn¬†