Escrever sobre diabetes é para mim uma missão importante, pois sei algumas informações sobre este estado (há mais de 30 anos que o meu corpo físico o conhece). Já dá para saber muitas coisas e poder partilhar o meu conhecimento com outras pessoas que querem saber mais sobre esta condição. Hoje vou falar do que é, de uma forma simples, das causas, dos tratamentos que podem ser feitos e da reversão. Sim, diabetes tipo II é mais fácil reverter que tipo I e eu acredito que todas as doenças se podem curar. E sim, há muitas pessoas no mundo que já reverteram diabetes e outras doenças e eu estou no meu processo de cura também.

A diabetes tipo I está na minha vida desde a adolescência. Primeiro foi a minha mãe que ficou com diabetes, após a minha irmã nascer (tinha eu 12 anos) e depois mais tarde foi a minha vez, com 16 anos.

 

O que é a diabetes

 

É uma síndrome metabólica que acontece pela falta de insulina no corpo físico e/ou pela incapacidade da insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue.

Que tipos de diabetes existem?

– Diabetes Tipo 1

– Diabetes Tipo 2

– Diabetes Gestacional

– Outros tipos de Diabetes

Hoje vamos falar só do tipo 1 e tipo 2 e se quiserem saber mais, podem ver, por exemplo, a página da APDP com mais informações.

A Diabetes Tipo 1, também conhecida como Diabetes Insulino-Dependente atinge na maioria das vezes crianças ou jovens, podendo também aparecer em adultos e até em idosos. Na Diabetes do Tipo 1, as células ß do pâncreas deixam de produzir insulina pois existe uma destruição maciça destas células produtoras de insulina. As causas da diabetes tipo 1 não são, ainda, plenamente conhecidas na medicina convencional.

Sabe-se que é o próprio sistema imunitário da pessoa que ataca e destrói as suas células beta, o que a leva a ficar com diabetes.

Estas pessoas com Diabetes necessitam de terapêutica com insulina porque o pâncreas deixa de a poder fabricar. A causa desta Diabetes do tipo 1 é, pois, a falta de insulina. A principal função da insulina é controlar a quantidade de glicose no sangue após a alimentação. Ela informa as células de que a glicose deve ser absorvida.

A Diabetes tipo 2 tem como principais fatores de risco o não se alimentar bem, a obesidade, o sedentarismo e a predisposição genética. É o tipo mais comum de Diabetes. É causada por um desequilíbrio no metabolismo da insulina.

Na Diabetes tipo 2 existe um défice de insulina e resistência à insulina significa isto que, é necessária uma maior quantidade de insulina para a mesma quantidade de glicose no sangue. Por isso as pessoas com maior resistência à insulina podem, numa fase inicial, apresentar valores mais elevados de insulina e valores de glicose normais. À medida que o tempo passa, o organismo vai tendo maior dificuldade em compensar este desequilíbrio e os níveis de glicose sobem. Embora tenha uma forte componente hereditária, este tipo de Diabetes pode ser prevenido controlando os fatores de risco modificáveis e é claramente reversível se as pessoas fizerem um correto tratamento para tal.

Esta informação é aquela que está descrita maioritariamente em todos os sites ou locais/empresas que trabalham com diabetes, pois normalmente só se focam no corpo físico.

Este artigo de opinião pretende dar uma visão mais integrada e holística sobre a diabetes, para que as pessoas conheçam mais sobre as causas e como podem curar-se.

E para isso é importante esclarecer que cada pessoa não tem só um corpo físico, há mais corpos para conhecer.

Para saber mais sobre os 5 corpos, ver aqui, num artigo que também escrevi.

Falei acima do que é a diabetes no corpo físico, e essa informação é a mais conhecida. Para falar da cura e tratamento do corpo físico vou deixar para o fim, pois para se curar o corpo físico é importante curar os outros corpos também, talvez primeiro, para que naturalmente o corpo físico se cure.

Vou agora falar da diabetes nos outros corpos e quais são as causas e como se pode curar cada corpo.

Uso informação do livro ‘’O teu corpo diz ama-te’’da Lise Bourbeau. Se ouvíssemos quando os nossos corpos nos falam, não chegaríamos a ficar doentes. Isto acontece tão simplesmente porque, segundo a autora, é esta a forma que o corpo encontra para nos chamar a atenção daquilo que estamos a fazer mal, e de que forma é que isso nos prejudica física e psicologicamente.

 

 

Diabetes no corpo Mental

 

A diabetes quer dizer-te que renuncies e disponhas do teu tempo para deixar vir as coisas, em vez de quereres controlar tudo. Ou seja, pára de controlar! Na realidade pouco controlamos na vida, certo?

Pára de julgar que a tua missão é organizar a vida e a felicidade de todos e de cada um.

És uma pessoa com uma grande atividade mental, devido à busca intensa de meios necessários para responder às tuas expectativas.

És uma pessoa capaz de conseguires o que queres, mas os que te rodeiam podem não o desejar necessariamente tanto como tu, ou sequer desejar as mesmas coisas que tu!

Por isso, aproveita as doçuras da vida no momento, em vez de andares distraído(a) com o que vais querer amanhã. A doçura está em ti, em que és, está na vida, não precisas de a ter ‘’dentro do teu corpo físico’’.

Até agora, preferiste pensar que aquilo que desejas é sempre para os outros. Aceita a ideia de que esses desejos são, em primeiro lugar, os teus. Podes estar a projetar nos outros as tuas necessidades.

Reconhece ainda tudo o que conseguiste obter até agora. Aceita ainda que mesmo que um grande desejo não se tenha manifestado no passado, nada te impede de apreciar agora os mais pequenos desejos que se revelam neste momento.

Quanto à criança diabética, é tempo de ela deixar de julgar que é a criança perdida da família. É ela que tem que criar e descobrir o seu lugar. Isto é válido também para os adultos, se ainda continuam a pensar assim.

 

 

Diabetes no corpo Emocional

 

O pâncreas é uma glândula ligada ao centro energético do plexo solar. Um problema neste plexo indica perturbações ao nível das emoções. Este centro de energia gera as emoções, os desejos, e o mental. A pessoa que tem diabetes é emotiva e tem muitas vezes desejos em demasia. É do género de não desejar algo só para ela/ele, e sim, para todos os que lhe são chegados. ‘’Quer que todos tenham a sua parte do bolo’’. Pode, no entanto, ser ciumento/a se alguém tiver mais que ele/ela.

É em geral, uma pessoa muito dedicada, mas com demasiadas expectativas. Faz de ´´mãe’’ de todos e culpabiliza-se facilmente se os seus desejos para os outros não se manifestam. Este facto de alimentar tantos desejos, esconde uma tristeza interior que provém, em geral, de um importante desejo de carinho e amor que nunca foram satisfeitos.

A diabetes na criança, manifesta-se quando ela não se sente reconhecida. A tristeza causa-lhe um vazio interior tão grande, que procura compensação. É por isso que busca atenção, para ter uma vida doce.

 

Diabetes no corpo Energético

A Diabetes é uma doença que atinge o baço e o pâncreas. Tais órgãos, quando estão em desequilíbrio, indicam que o ser humano possui tendência para enfrentar a vida com sensatez exagerada, não permitindo momentos para vivenciar o prazer e a alegria. Diante disso, o indivíduo percebe o dever como importante, considerando o profissional e o material como as coisas essenciais para a sua vida. Logo, falta-lhe na vida aquela doçura de que todo o ser humano sente necessidade. Neste sentido, o desequilíbrio do pâncreas pode causar a hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue) e a diabetes (Odoul, 2003; Gusmão & Resende, 2014).

A presença excessiva de açúcar no sangue exprime que temos dificuldade para gerar, para viver ou para obter doçura na nossa vida.  Alguns choques psicológicos fortes, no decorrer dos quais o indivíduo enfrentou a destruição brutal das seguranças ou crenças afetivas, podem ser expressas pela aparição da diabetes.

Para Campiglia (2009), o significado da palavra saúde envolve o resultado do equilíbrio entre o Yin e o Yang. Diante disso, quando eles estão em desequilíbrio, ocorre o processo de adoecimento:

[…] A doença não surge de uma hora para outra; é fruto de uma sucessão de experiências estressantes acompanhadas por uma fragilidade do mecanismo de proteção. Esse processo pode começar a ocorrer no adolescente e só se manifestar na idade adulta ou na velhice. Muitos eventos ficam internalizados e, em uma situação específica, pode ser reativados como um alarme, desencadeando uma reação em cascata que culmina com a doença […]. O equilíbrio existente entre o Yin e o Yang, entre o indivíduo e o meio e entre os Zang Fu não é estático, mas dinâmico como a própria natureza. Para que ocorra o adoecimento, é necessário que o corpo perca o seu poder de adaptabilidade ao meio externo.

Além disso, a visão holística, destaca que as emoções e os pensamentos estão diretamente relacionados à força vital, a energia vital. Nesse processo, portanto o psiquismo e os órgãos não podem ser visualizados separadamente, pois as perturbações do psíquico, relacionadas às emoções, podem alterar espontaneamente os órgãos, como também as alterações, de ordem orgânica, podem atuar sobre a psique. Dessa forma, a acupuntura considera cinco emoções como a alegria, a tristeza, a reflexão, a cólera e o medo, estando o estado de saúde dependente da harmonia entre essas cinco emoções, ou seja, as alterações emocionais levam aos quadros de excesso ou deficiência (Gusmão & Resende, 2014, p. 103).

A relação entre cada órgão e uma emoção em particular é mútua: o estado do órgão afetará as emoções e as emoções afetarão o estado do órgão. O Coração relaciona-se à alegria, o Fígado à raiva, o Pulmão à tristeza e à aflição, o Baço/Pâncreas ao pensamento e ao estado de ficar pensativo, e o Rim ao medo.

Quando uma pessoa passa a sentir a vida triste e sem doçura, perde lentamente as duas funções do pâncreas. Não consegue eliminar a “acidez” dos sentimentos e não consegue mais manter os seus pensamentos “doces”.”

A diabetes simboliza a perda da ”doçura” da vida e indica que a pessoa está, constantemente frustrada, imaginando que jamais conseguirá realizar o que sonhou, porque acredita que não há “gosto” em continuar tentando e que a vida sempre dificulta seus desejos. Aprende a aceitar os acontecimentos, sejam eles quais forem. Podes transformar todos os teus aborrecimentos e frustrações em pensamentos de aceitação provisória otimista. Isso quer dizer que podes tranquilizar-te, prestar atenção ao que te aborrece, ver os teus próprios erros e, enfim, tentar novamente sem medo. Acredita sempre em ti e tenta vários métodos de alcançar o que pretendes.

O acumular de muitos traumas contínuos, como um amor perdido, frustrações financeiras, traições, faz com que a pessoa se apegue àquilo que já passou porque, inconscientemente, não consegue se acostumar à realidade das perdas.

Assim a pessoa arrasta uma profunda mágoa pelo que ficou no passado e sente que o “doce” da vida acabou. A partir de então, passa a temer o futuro porque sabe que o “gosto” dele pode ser amargo e a insegurança predomina em seu coração. Quando compreenderes que criamos o nosso próprio destino, somos nós que construímos a vida que temos, perceberás que aconteceram tantas coisas só porque ainda não aprendeste a controlar os teus pensamentos e a partilhar as tuas emoções em cada momento.

Tudo o que já viveste foi apenas para ensinar-te que, mesmo com desafios, podemos achar a vida “doce”, pois quem dá mais sabor a ela somos nós mesmos. Usa o teu campo energético, até o ponto de sentires que é agradável poder mudar os caminhos e tentar novos horizontes. Solta o que passou e perdoa sinceramente a todos aqueles que, pela ignorância, te fizeram sofrer. A felicidade não entrará no teu coração se guardares mágoas do passado: como podes ser digno da felicidade se não souberes perdoar? Tantas portas e janelas para serem abertas, de onde o sol mostrará o seu brilho e calor.

Acredita que o teu sol sempre brilhou e tu, que ficaste preso/a a desconfiar, fechaste-te num mundo irreal de habitantes sem amor. Permite que a felicidade e a esperança de novos acontecimentos entrem na tua vida, livres de toda a imagem do passado. Sente a doçura dos teus atos e nas tuas palavras e deseje, do fundo de sua alma, a verdadeira alegria de viver. Progride sem medo do futuro e amplie seus conhecimentos para que você possa descobrir que existem caminhos diferentes, de tudo que você já tentou. Podes acreditar!

 

Diabetes no corpo Arquetípico

 

Este corpo ainda não tem tantas informações específicas sobre a diabetes. Se este corpo está ligado ao propósito e missão de cada um de nós seres humanos, na terra, claramente que se não estiveres a cumpri-lo, então a tua alma está triste e por isso mais um motivo para que este corpo também não esteja alinhado com a tua cura.

Enquanto não estiveres a fluir na vida e a colocar em ação a tua missão, fica mais desafiante trabalhares a tua cura integral da diabetes.

 

Tratamento da Diabetes nos 5 corpos

 

Para que possas voltar a ter os teus corpos saudáveis, é fundamental ires à causa do que causou em cada um deles a diabetes em ti.

E como foi aqui explicado há fatores comuns em cada corpo para a maioria das pessoas que têm diabetes, por isso deixo aqui algumas perguntas para fazeres e descobrires a tua causa.

Depois disso, é mudares os teus comportamentos rumo à vida saudável que queres ter e para cada corpo vou deixar algumas sugestões de como curar, tu vais encontrar as tuas, pois sabes bem o que os teus corpos precisam para a cura. Nota: Se ainda não souberes vem falar comigo e ajudo nesse processo de descoberta.

 

Questões para descobrires a causa da diabetes

 

1 – Estou a viver a vida que a minha alma escolheu eu vir viver?

2 – O meu propósito de vida está ao serviço dos outros e estou a realizá-lo agora?

3 – Estou a viver em cada dia, no momento presente? ( Ou vivo no presente ou no passado?)

4 – Estou focado(a) na minha cura?

5 – Sinto alegria pura todos os dias?

6 – Estou a alimentar-me de forma saudável? ( Maioritariamente vegetais e comida biológica?)

7 – Faço exercício físico adequado ao meu corpo e com a frequência necessária?

8 – Vivo sem mágoas e ressentimentos? Já perdoei a quem eu acho que me magoou?

9 – Consigo viver a vida sem a querer controlar e sem querer controlar os outros?

10 – Sinto-me amada(o) e reconhecida(o)?

11 – Amo-me e aceito-me como sou?

 

Há mais perguntas ainda a fazer em processos de cura emocional e estas já te dão um caminho para o que precisas de curar em ti.

Se respondeste não à maioria destas perguntas, pode querer dizer que ainda não estás no caminho da cura. E não há respostas certas ou erradas, as respostas só te dão a informação do que podes começar a fazer diferente, a partir de agora.

Vou deixar algumas dicas de como podes curar-te ou melhorar já o controlo dos níveis de açúcar no sangue:

 

Reversão da diabetes

 

Para que os teus corpos voltem ao estado anterior onde não tinhas diabetes, é importante fazeres o teu processo de cura emocional, de mudança de pensamentos, de comportamentos, de limpeza energética e de alimentação certa.

Para o corpo físico é fundamental ter uma alimentação de base vegan, ou plant based. Eu fiz um curso na Índia de 21 dias de reversão de diabetes e posso comprovar que a maioria das pessoas com diabetes tipo 2 reverteram a diabetes com esta alimentação e estilo de vida.

O foco é ser uma alimentação rica em vegetais e fruta, de origem biológica, baixa em gorduras, ter proteína vegetal e hidratos de absorção lenta. E em 21 dias todas as pessoas reduziram a sua HbA1c.

O exercício físico adequado a cada pessoa é fundamental.

E cada um de nós tem os seus gostos e por isso de certeza que, quer seja uma caminhada, ir ao ginásio, fazer yoga ou zumba, o que melhor se adequar aos objetivos que queremos, funciona.

Para trabalhar o corpo emocional, é claro que é preciso fazer terapia, libertar as emoções, aceder à tristeza e mágoas que podem ainda existir e saber aprender a viver com alegria e amor em cada dia.

E aqui na WeCareOn temos uma equipa diversificada para fazer isso ou mesmo eu, com o foco de trabalhar as emoções da diabetes e as causas que fizeram a doença se manifestar.

Há ainda que trabalhar a mente e mudar os pensamentos e a linguagem, como já foi falado acima e deixo já algumas notas importantes:

Nunca mais digas eu sou diabético(a) ou deixes que alguém te diga és diabético(a).

Ao estar a identificar-se com a doença, é como se dissesse que é a doença.

Cada um de nós é muito mais que uma doença, aliás a doença é só uma manifestação temporal de algo a mudar em nós.

Assim, podes dizer, eu estou curado(a), ou se ainda não fores capaz de dizer isso, dizer simplesmente eu ainda tenho diabetes e estou a curar-me.

Podes ainda dizer todos os dias a ti mesmo(a):

Cada momento é cheio de alegria. Sinto a alegria de cada dia, aprecio a doçura de cada momento.

Acredito mesmo que cada um de nós tem uma missão na vida e que cada experiência(s) que temos nos fazem crescer e evoluir. A diabetes é uma mensagem dos nossos corpos a pedir mudanças, para que a cura venha e a transformação e evolução aconteçam.

 

 

Eu estou na minha caminhada e tu?

Estou por aqui para facilitar a tua jornada para a cura e/ou para a melhoria da tua condição atual.

Se tiveres alguma questão sobre este artigo ou como podes fazer esta experiências de cura, fala comigo.

Vamos trabalhar e curar os 5 corpos de uma forma holística, para que no final, o teu corpo físico e o teu pâncreas regenere e esteja no estado que realmente queres que esteja em cada momento 🙂

Vou ter todo o gosto em te acompanhar nesta jornada de cura, transformação e evolução.

Queres começar agora?

 

Estou aqui para ti

 

Paula Ribeiro – Fundadora e Health Coach na WeCareOn