Vivemos novamente uma situação de confinamento já conhecida em Março, mas, desta vez, com índices de energia e positividade menos altos. Não desespere, sabemos que é um sacrifício pesado de se pedir de todos os portugueses e muito em especial aos pais. Por isso queremos dar algumas dicas para se re-organizar ou implentar desta vez, que possa não ter implementado no anterior confinamento.

 

  1. Escolha e prepare os espaços

 

– Procure dentro da sua casa, um espaço onde se sinta cortável e lhe pareça adequado para trabalhar. Isto é, adapte o espaço às suas necessidades e não se esqueça de implementar a lei da funcionalidade e claro, certifique-se de ter um acesso à Internet adequado.

 

Para os seus filhos:

 

– No caso dos mais pequenos perto de si, crie vários espaços específicos para a criança com almofadas e proteções à volta onde mais independentemente a criança possa explorar e brincar com a sua supervisão ou, então, com a ajuda de irmãos mais velhos (canto dos brinquedos, zona dos puzzles, secção das texturas, espaço do desenho, etc).

 

(Recomendado dos 0 – 6 meses)

 

  • Faça um painel de cores e formas

Imprima imagens com formas geométricas em cores vivas e chamativas. Pode começar a preto e branco e depois ir acrescentando imagens a cores conforme a idade da criança. Depois, pode colar os pendurar estas folhas coloridas num painel ou colocar na área do berço ou carrinho. A atividade consiste, pois, em deixar o bebé observar esse universo de cores e formas pelo tempo que ele mostrar interesse.

 

(Recomendado dos 6-12 meses)

 

  • Cubos e bolas

Um dos espaços que pode criar, conforme citado anteriormente é a zona dos puzzles. Nesta idade, opte por coisas muito simples como, por exemplo, dar à criança um cesto ou caixa com cubos e bolas. Será interessante ter cubos e bolas de diferentes texturas para que a criança possa explorar texturas e formatos.

Quando tiver disponibilidade pode iniciar brincadeira com a criança, fazendo pilhas com os cubos, e a criança vai achar imensa piada derrubar os cubos. No caso das bolas, pode lançá-las de um lado para o outro, pois, desta forma, está a estimular na criança o interesse pela ação de movimento.

Se possível, coloque as coisas um pouco afastado do corpo da criança, de forma que ela tenha que deslocar o corpo para pegar nelas. Assim, este será um importante exercício de fortalecimento da coluna e do abdómen, ambos fundamentais para o desenvolvimento da marcha.

 

Se o seu filho/a já for maiorzinho/a (entre os 24-36 meses)

  • Pode inclui-lo/a nas atividades de vida prática

As atividades de vida prática permitem desenvolver competências pessoais e sociais básicas e que são usadas no dia a dia, como, por exemplo, o vestir-se sozinho, limpar ou ser educado. Principalmente até aos 3 anos, a criança adora imitar o adulto e acompanhá-lo em todas as suas tarefas. Permitir que os nossos filhos nos ajudem nas tarefas do dia-a-dia, como cozinhar ou limpar os sapatos, são excelentes exemplos e, além disso, incutem senso de responsabilidade e empatia.

 

Dica bónus:  No início dos seus dias, coloque música nos ambientes, de preferência música calma, ou seja, música que lhe possa dar algum conforto, regular e ajudar a gerir o stress a si e às suas crianças.

 

  1. Estratégias para Organizar o Tempo

 

Dar atenção e gerir o tempo com filhos e estando a trabalhar em casa é um desafio Hercúlio, por isso, é muito importante que crie rotinas para si e para os elementos da casa e adapte o seu tempo às crianças e ao trabalho.

 

– Siga a sua rotina matinal como se estivesse a ir para o trabalho e perceba com a sua agenda se faz sentido, tentar ajustar às rotinas da creche ou escola;

– Aproveite o tempo em que as crianças estão a dormir para produzir mais, ficando assim com mais tempo livre;

– Inicie o dia de trabalho com uma lista de tarefas onde estabeleça prioridades de trabalho e vá riscando de acordo com o término de cada tarefa, isso vai ajudá-lo a organizar a distribuição do seu tempo;

– De forma a manter as crianças ocupadas, proponha sempre “puxando à brincadeira” estabelecer alguns desafios diários para os mais pequenos, como ler um livro, ver um filme educativo, fazer um puzzle, um desenho ou pintar algo ou outras atividades lúdicas e pedagógicas que eles consigam realizar (sozinhos ou com a ajuda dos irmãos mais crescidos), num determinado período de tempo.

– Se é daquelas pessoas que fica mais ativa à noite, tente encontrar algumas tarefas para fazer depois dos seus filhos estarem a dormir, como, por exemplo, trabalhos como redação, revisão ou tradução de textos;

 

Dica Bonús:  Não trabalhe todo e cada minuto que tiver livre em casa, tente livrar-se da culpa que sente e, além disso, lembre-se que talvez no escritório fizesse tantas ou mais pausas do que as que está a fazer. Portanto, é importante permitir-se a fazer pausas para descansar e descontrair.

 

  1. Estabelecer acordos

 

Relembre ou explique às crianças que manter rotinas vai ajudar todos a aproveitar o tempo juntos e que estes dias em casa não são como fins-de-semana ou férias.

  • Fazer uma tabela de regras em reunião de família.

 

  1. Planear para conquistar

 

Planear e distribuir o tempo, com base nas rotinas do tempo de escola ou creche, através de mapa de tarefas ou plano da semana:

Horário Quem? Sáb. Dom.

 

Até às 08:30 Todos Acordar, higiene pessoal, vestir Acordar, higiene pessoal, vestir Acordar, higiene pessoal, vestir Acordar, higiene pessoal, vestir Acordar, higiene pessoal, vestir
08:30-09:00 Todos Pequeno-almoço, fazer camas Pequeno-almoço, fazer camas Pequeno-almoço, fazer camas Pequeno-almoço, fazer camas Pequeno-almoço, fazer camas Acordar, higiene pessoal, vestir Acordar, higiene pessoal, vestir
09:00-10:00 Pais

Filhos

Trabalho

Estudar

Trabalho

Estudar

Trabalho

Estudar

Trabalho

Estudar

Trabalho

Estudar

Pequeno-almoço, fazer camas Pequeno-almoço, fazer camas

 

  1. Como agir com interrupções constantes

 

–  Faça listas de tarefas para ajudar a manter o foco e, assim, evitar que o pensamento disperse.

– Coloque alarmes no telefone para que consiga cumprir com as pausas e, da mesma forma, gerir os vários blocos de tempo ao longo do dia.

– Faça perceber que a hora de trabalho é mesmo a sério e diga não às distrações, bem como aos convites dentro de casa para uma pausa desnecessária.

– Seja realista no que toca a horas de trabalho e nos objetivos a que se propõe, mas não se esqueça de os estabelecer para conseguir ter noção da sua produtividade durante a semana.

– Tire proveito da flexibilidade de trabalhar em casa. Nesse sentido, se num dia da semana, não conseguiu produzir tanto, não se culpe. No entanto, tente perceber o que correu menos bem e reorganize-se, a si, bem como, à rotina familiar, se for o caso, para que consiga cumprir os prazos que estabelece.

 

  1. Procure manter o equilíbrio

 

– Delegue responsabilidades. Isto é, cada um é responsável por uma parcela de tarefas, de forma adequada e acordada.

– Treine-se a agir sobre o que são as tarefas específicas de cada dia e, além disso, lembre-se de que certas coisas são fundamentais e outras vão ter de esperar.

– Responsabilize todos em casa, inclusive os seus filhos pela arrumação dos brinquedos no final de cada dia, por exemplo. Pode até arranjar uma caixa onde a criança possa por tudo lá dentro, como o “baú da diversão” ou se forem maiorzinhos, sensibilize-os por pôr cada coisa no seu cantinho específico (livros na área de leitura, puzzles na zona dos puzzles, brinquedos na ilha da fantasia).

 

A arrumação dos brinquedos pode fazer parte da tabela de tarefas da família, assim evita o queixume “mas já fui eu que fiz ontem, “não é a minha vez”…

 

Isto vai ajudar a evitar a sensação de desorganização total e, dessa forma, a diminuir a sensação de sentir que todos os dias tem de fazer uma limpeza profunda.

 

– Planeie as refeições com antecedência, pode fazer uma lista do que comer em cada dia da semana ou até do mês, use o frigorífico com inteligência e, quando cozinhar, faça uma grande quantidade para que dê para dois dias.

 

Esperamos que estas dicas, possam ajudar neste novo dia-a-dia desafiante e que possa, igualmente, desfrutar de algumas delas para conseguir, mais pacificamente, atravessar esta fase.

 

Se sentir que precisa de uma pausa, faça-a e a seguir reorganize-se e se ficar muito, muito difícil, procure ajuda, os profissionais de saúde estão cá para ajudar.

Lembre-se, não precisa de passar por tudo sozinho/a.

 

Fala Comigo

 

Cláudia Graça –  Psicóloga Clínica @ WeCareOn