É costume relacionar comportamentos aditivos com o abuso de substâncias como a droga e o álcool. Contudo este comportamento é muito mais abrangente como passo a explicar.

 

O que são Comportamentos Aditivos?

O Comportamento Aditivo é um comportamento repetitivo (compulsão e obsessão) face a um objeto, substância ou atividade. Que, se transforma no foco principal da vida de um sujeito, excluindo-o (ao sujeito) de outras atividades e/ou rotinas diárias como o convívio social, trabalho, escola, família, entre outros.

 

Tipos de Comportamentos Aditivos

Podemos identificar alguns comportamentos aditivos:

  • Consumo de drogas (incluindo o tabaco);
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Comida;
  • Sexo;
  • Compras;
  • Jogo;
  • Internet;
  • Exercício físico.

tipos de comportamentos aditivos

 

É a forma como a pessoa se comporta perante qualquer uma destas atividades, substâncias, objetos ou comportamentos que define se é ou não, um comportamento aditivo. Qualquer um destes comportamentos pode existir de forma saudável. Passando a ser considerada como uma adição quando repetida frequentemente e causando danos na vida da pessoa que a pratica, trazendo-lhe sofrimento.

 

Assim, podemos concluir que, não é o que a pessoa faz, mas a forma repetida como a faz.

 

Qual é o objetivo de um comportamento aditivo?

O prazer imediato!

exemplos de comportamentos aditivos

 

Inicialmente o sujeito percebe que, ao agir de determinada forma, sente uma satisfação imediata. Um sujeito saudável, vai encontrar várias formas de encontrar satisfação em tudo o que faz, tendo ou não tendo uma resposta satisfatória de imediato. Por outro lado, um sujeito com algum tipo de “vazio emocional”, tenderá a procurar esta resposta prazerosa num comportamento/atividade/objeto com muito mais frequência. Tornando-se assim num comportamento aditivo. Esta é a diferença entre um comportamento saudável e um comportamento aditivo.

 

Para se afirmar que estamos perante um comportamento aditivo, é necessário colocar as seguintes questões:

  • O sujeito teve sempre este comportamento?
  • Se sim, identificar o tipo de comportamento e questionar: é possível, tendo em conta a sua frequência e danos causados na sua vida, considerar uma adição?
  • Para perceber se é uma adição, podemos pensar se este comportamento influencia de forma negativa as suas rotinas diárias e a sua vida no geral.

Identificado o prolema, é urgente procurar ajuda especializada para uma avaliação mais exaustiva e profissional. E, para elaborar um plano de intervenção junto do paciente.

 

 

Importa relembrar que, existem vários fatores que potenciam o comportamento aditivo:

  • Biológico: aumento da atividade neurotransmissora, que leva à sensação de satisfação (ex: dopamina);
  • Psicológico: é necessária a compreensão do grau de vulnerabilidade para o desenvolvimento da perturbação da síndrome de dependência;
  • Social: perceber todo o contexto social em que o sujeito está inserido. Os fatores de risco (violência, alcoolismo, negligência, pobreza extrema, ausência de afetos) potenciam o aparecimento de comportamentos aditivos;
  • Ambiental: Escola, trabalho, atividades em grupo, convívio, toda a informação é importante para perceber o que pode ter desencadeado o comportamento.

 

comportamentos aditivos

 

Comportamentos Aditivos: O que fazer?

Frequentemente, estes comportamentos são desenvolvidos ao longo da vida. Podendo mesmo passar despercebidos no seio familiar, contexto de trabalho e relações de amizade. É importante perceber quando um sujeito passa a usar determinado comportamento para satisfação imediata. Usando alguma impulsividade e racionalização (ex: consumo de bebida alcoólica para relaxamento, ao fim do dia) do seu comportamento perante os outros.

 

Sendo que, existem vários tipos de comportamentos aditivos e que surgem em várias faixas etárias, é necessária informação clínica e respetivo acompanhamento. De forma a elaborar um diagnóstico e um plano de tratamento individual.

 

Marisa Pereira – Psicóloga e Directora Clínica WeCareOn