A palavra liberdade pode assumir vários significados!

 

O Conceito de Liberdade

 

Analisando a sua origem, em grego, “eleutheria” significava liberdade de movimento. Dizia respeito à possibilidade do corpo para se movimentar sem qualquer restrição externa. Sendo assim, o significado grego relacionava-se com a ausência de limitações físicas.

 

Em alemão, a palavra “freiheit” que dá origem à palavra “freedom” em inglês, significava “pescoço livre”, referindo-se à ausência das correntes que aprisionavam os escravos. Portanto, a palavra nasce em oposição à escravatura. A palavra grega tem um significado mais abrangente e “freiheit” seria então um caso particular de “eleutheria”.

 

No latim, a palavra “libertas” significava independência. Sendo ainda mais abrangente do que a palavra grega. Independência nasce da oposição à palavra dependência, em latim “dependere” que significava “estar preso a”, “estar pendurado”, “pender de”. Então, “libertas” assumia significados como não estar preso a nada, não estar pendurado, não ser propriedade de ninguém.

 

Estas três palavras “eleutheria”, “freiheit” e “libertas” referem-se a liberdades externas, sem obstáculos físicos. No entanto, nos dias de hoje a palavra liberdade assume significados mais amplos, referindo-se não só a obstáculos físicos, como também internos, por exemplo psicológicos. A maior parte das pessoas tem poucos obstáculos físicos mas isto não significa que sejam livres. Os obstáculos psicológicos, emocionais, sentimentais, etc,  funcionam como correntes que muitas vezes impedem de fazer escolhas livremente e de usufruir da sensação de liberdade.

 

O que é a Liberdade

 

Esta sensação de liberdade, para que não passe disso mesmo, de uma sensação, deve fazer parte de um percurso e um percurso tem que ser construído e aperfeiçoado cada dia, possibilitando o amadurecer da liberdade de cada um.

 

A liberdade é algo que se constrói. E é uma sensação interna que dá vivacidade e alegria e impulsiona a concretizar os verdadeiros sonhos! E ainda que a liberdade externa seja muito importante, a liberdade interna é ainda mais porque desenvolve a confiança, a resiliência e dá poder à própria pessoa. É portanto importante cultivá-la e pô-la em prática com maturidade e sabedoria! 

 

Ainda sobre a liberdade, é interessante observar que na maior parte das vezes, nos referimos à  liberdade de algo, de movimento, de correntes, de alguém! Este tipo de liberdade é sem dúvida o primeiro passo para que a pessoa se sinta livre, “livre de algo”. No entanto, o passo mais importante tem a ver com a “liberdade para algo”! Este tipo de liberdade pode ser considerado o objectivo pelo qual a Pessoa se quer “libertar de”. No entanto, concentramo-nos demasiado em libertarmo-nos de algo ou de alguém e esquecemo-nos do que fazer com essa liberdade! É importante cultivar a liberdade para sonhar, para isto e para aquilo e então lanço a pergunta:

 

De que forma quer usar a sua liberdade?

 

Para quê?

 

 

Sara Pereira – Psicóloga WeCareOn