Numa destas semanas, li no semanário Expresso, um artigo de opinião do Secretário de Estado -adjunto da Saúde, Fernando Araújo. A apelar à iniciativa das Autarquias com o seguinte título:

 

Todos a fazer ginástica e a comer bem.

 

Um em cada 10 portugueses sofre de diabetes.

 

Um em cada quatro é hipertenso.

 

E um em cada dois é obeso ou tem excesso de peso. E continua….

 

Realmente estes números fazem-nos pensar. Enquanto a industria de “fitness” cresceu significativamente nos últimos 20 anos, a obesidade e as doenças relacionadas com o estilo de vida continuam a aumentar.  Se se combinar as variáveis: a ultima geração do exercício com a programação do tipo de alimentação, a industria do “fitness” e a nutrição já deveriam ter ajudado a reduzir este tipo de problemas.  O que sabemos é que isso ainda não aconteceu. Há milhares de pessoas em procura de uma mudança saudável pelo que é necessária uma abordagem diferente.  Essa abordagem passará pela definição de um estilo de vida.

 

O que é o estilo de vida?

 

Estilo de vida é a forma como a pessoa vivência a vida!

 

Este manancial de vivência inclui o modo como pensa, o modo como atua, e as escolhas que faz nas diversas componentes do SER.  Parece simples, pois apenas envolve, saber o que se quer, escolher e fazer. Parece um processo de transformação para a ação (TransforACtion)!

 

Temos que escolher ir nas profundezas do íntimo, identificar o que precisa de ser mudado, transformado ou mesmo curado. Só este processo de desenvolvimento pessoal nos leva a um novo entendimento, que será o estimulo para os que objetivos emerjam.

 

Aqueles números fazem-nos pensar, sobretudo sabendo que os hábitos alimentares inadequados são o principal fator de risco. E que segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) 80% das mortes por doenças cardiovasculares e diabetes poderiam ser evitadas com alteração de comportamentos.  É indiscutível que se tem essa consciência coletiva. Caso contrario, não estariam no topo das resoluções do Ano Novo, a ida ao ginásio e perda de peso.

 

Desenhar o estilo de vida

 

Desenhar o estilo de vida que se quer exige desenvolvimento pessoal.

 

Exige esmiuçar o Ser e os hábitos. Centra-se diretamente nos assuntos que influenciam o físico e a mente ajudando a cultivar e a desenvolver a relação mente-corpo. Enquanto dá resposta às principais áreas de bem-estar: alimentação, movimento, descanso e gestão de stress (emocional).  A abordagem mente-corpo ou holística, usa uma metodologia que está enraizada em poderosas técnicas que afetam mutuamente: corpo, pensamento, emoções e comportamentos.  Esta forma leva a melhorias continuas e duradouras que estabelecem tendências de estilo de vida onde as metodologias tradicionais têm falhado.

 

As estratégias de desenho de estilo de vida centram-se em mudanças de hábitos em vez de programação de rotinas ou soluções.  Apenas sabemos que o “movimento” ou a ida ao ginásio é importante. No entanto, necessita que a base da mudança de vida aconteça, as quais incorporam múltiplas facetas do bem-estar. Facilitando suporte passo a passo e orientação nos vários tipos de comportamento, os coaches literalmente ajudam os seus clientes a desenvolver elevada consistência e autorresponsabilização no que diz respeito aos seus hábitos.

 

 Aldina Costa – Coach WeCareOn