Tudo começa com as preocupações e medos excessivos (com o trabalho, família, dinheiro, saúde, o/a companheiro/a…), desproporcionais para a situação. Indivíduos com a perturbação de ansiedade generalizada vivem num constante estado de ansiedade e preocupação, que acaba por causar mal-estar, e interferir na sua vida quotidiana. Mas afinal, o que é que caracteriza este transtorno?

 

O que é a Perturbação de Ansiedade Generalizada?

 

A PAG (Perturbação de Ansiedade Generalizada) é mais frequente em mulheres, e é comum começar a desenvolver-se, lentamente, na vida adulta jovem. No entanto também ocorre muitas vezes em indivíduos de meia-idade.

 

Na base da perturbação de ansiedade generalizada encontra-se uma dificuldade do indivíduo em lidar com a incerteza e falta de controlo. O que origina uma série de sintomas físicos, e psicológicos.

 

Ansiedade generalizada sintomas físicos e psicológicos

  1. Agitação ou nervosismo;
  2. Tensão muscular;
  3. Dificuldades de concentração;
  4. Irritabilidade;
  5. Fadiga;
  6. Perturbações do sono (dificuldade em adormecer, ou sono insatisfatório).

 

Indivíduos que apresentem 3 ou mais dos sintomas acima apresentados, durante pelo menos 6 meses, podem apresentar um quadro de ansiedade generalizada.

 

Para além disso, é comum que estas pessoas também apresentem uma visão irreal dos seus problemas, náuseas, sensação de cansaço constante, pensamentos ruminantes e obsessivos, impaciência, etc.

 

Esta sintomatologia é, muitas vezes, permanente e pode vir em fases de menor ou maio intensidade (podendo chegar, no seu limite, a ataques de pânico). Contrariamente às perturbações de pânico, na perturbação de ansiedade generalizada, a ansiedade mantém-se mesmo entre crises de pânico.

 

Consequências

 

Este transtorno pode afetar vário níveis da vida do indivíduo, são estes:

 

  • O seu corpo (nas alterações no comportamento alimentar, alterações no ritmo do sono, o aparecimento de insónias, etc.);
  • Nos seus Relacionamentos sociais (o mal-estar do indivíduo ansioso pode originar conflitos entre pares, levar ao seu isolamento social, etc.);
  • No seu Desempenho académico (pois a ansiedade vai originar dificuldades de memória e concentração, o que pode levar a um baixo rendimento escolar);
  • No seu Desempenho laboral (pessoas com uma perturbação de ansiedade generalizada tem maior dificuldade na resolução de problemas, cumprir prazos, manter relacionamentos no meio laboral, etc.).

 

 

Causas da ansiedade generalizada

 

As causas apontadas para o desenvolvimento desta patologia são muitas vezes associada à genética (antecedentes familiares), e a fatores ambientais (nomeadamente quando se passa por eventos de vida que implicam altos níveis de stress, como relações conflituais, relações laborais complicadas, lidar com mortes ou perdas, dúvidas acerca de opções de vida, etc.).

 

Também o consumo ou cessação do álcool ou tabaco pode desencadear uma perturbação de ansiedade generalizada.

 

 

Como prevenir?

 

De modo geral, a prevenção de perturbações de ansiedade é feita a partir de práticas diárias saudáveis, como:

 

  • Manter uma alimentação saudável e equilibrada;
  • Ter bons hábitos de sono (dormir pelo menos 7 horas por noite);
  • Praticar atividade física;
  • Rodearmo-nos de pessoas positivas;
  • Praticar exercícios de relaxamento e respiração profunda…

 

 

Perturbação de ansiedade generalizada Tratamento

 

O tratamento da perturbação de ansiedade generalizada passa pelo acompanhamento psicológico, e nalguns casos, pela utilização medicamentosa.

 

O acompanhamento psicológico nesta patologia costuma ser mais eficaz segundo a abordagem cognitivo-comportamental. Pois esta ajuda a mudar os padrões de pensamento e comportamento do indivíduo ansioso. Esta pretende, em consulta:

  • Identificar as causas que possam estar na base do desenvolvimento desta perturbação;
  • Corrigir algumas distorções do raciocínio que levam àquele medo exacerbado;
  • Fazer as mudanças necessárias de forma a solucionar os problemas;
  • Treino de competências;
  • Técnicas de relaxamento (como a respiração diafragmática, onde se privilegia a respiração através da elevação do abdómen, ao invés da torácica);
  • Reforço de competências na tomada de decisão, etc.

 

Para além disso, a meditação, o investimento em relações saudáveis e em atividades prazerosas (hobbies), a prática de mindfulness, e o exercício físico ajudam a aliviar os sintomas da ansiedade.

 

Estou sempre disponível para ajudar assim pode-me contactar no  link em baixo.

 

Mariana Gomes – Psicóloga WeCareOn