Os sintomas de depressão podem nos afectar ou alguém próximo a nós. Neste artigo, a psicóloga Cristina Reis, irá explicar quais são os sintomas da depressão, como sair da depressão, como ajudar alguém com depressão. Vai aprender qual o tratamento para a depressão e como o apoio psicológico e a psicologia o pode ajudar. Se quiser saber se está deprimido, faça o nosso teste de depressão.

 

A esmagadora maioria de nós conhece alguém que sofreu ou sofre de depressão ou, indiretamente, algum caso conhecido. Não é por acaso, já que a depressão é atualmente a perturbação psicológica que mais afeta não só os portugueses, com cerca de 580 mil casos em Portugal, tornando Portugal no segundo país da Europa com maior número de casos de depressão. Como também a doença mental como maior prevalência no mundo inteiro. Existindo mais de 300 milhões de casos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Para além disto, a depressão é também a perturbação que mais contribui para as mortes por suicídio, tirando a vida a quase 800 mil pessoas por ano. São realmente números assustadores como estes que nos levam insistentemente a sensibilizar a população para os sintomas da depressão.

 

Sintomas de Depressão

De uma forma ou de outra, vamos conhecendo e estando cada vez mais informados sobre os sintomas de depressão.

 

 
Sabemos que o humor deprimido, a tristeza quase diária e o sentimento de vazio, o choro fácil e o isolamento são sintomas mais claros. No entanto, a perda de interesse nas atividades que anteriormente eram da sua preferência. A perda de apetite (ou ganho acentuado de peso), a insónia ou vontade excessiva de dormir. A agitação ou lentificação psicomotora, a fadiga e perda de energia, o sentimento de inutilidade ou de culpa. A baixa concentração ou dificuldade em tomar decisões, ou até pensamentos de morte podem não ser identificados de forma tão imediata pelas pessoas que as rodeiam. Os sintomas de depressão podem ser físicos, emocionais ou psicológicos.

 

Nem sempre os sintomas de depressão são óbvios para todos e há que torná-los mais percetíveis de uma forma prática. Agilizando assim a sinalização de pessoas que sofrem de depressão ou que podem apresentar alguns sintomas de depressão.

 

Tem alguns sintomas de depressão?

Faça o nosso teste de depressão e saiba exatamente como está e o que pode fazer.

 

quais os sintomas da depressão e qual o tratamento para a depressão

O que dizem as pessoas com depressão?

 

Ao longo da minha prática clínica, tenho observado que existem determinadas frases ou palavras que me deixam imediatamente em alerta para investigar de forma mais aprofundada. Sendo que, em praticamente todas as situações o diagnóstico se vem a verificar. Obviamente que é necessário contextualizar sempre. Tentando perceber se estas expressões são combinadas com outros sintomas de depressão e se são suficientes para o diagnóstico de depressão.

 
Alguns exemplos:

  • – “É como se eu estivesse à deriva no mar e à tona, e saber que só precisava de uma bóia ou de uma rede a que me agarrar mas nada aparece”;
  • – “Sinto que já não estou cá a fazer nada”;
  • – “O mundo estaria melhor sem mim”;
  • – “Só me apetece desaparecer”;
  • – “Sinto que todas as portas estão fechadas e nem uma janela consigo abrir na minha vida”;
  • – “Sinto-me sem forças para levantar da cama”;
  • – “Como se estivesse em modo piloto e fizesse as coisas como um robô, por não ter vontade nenhuma nem energia para as fazer”;
  • – “Cada dia é uma luta para mim”;
  • – “Às vezes desejo não acordar mais”;
  • – “Como porque tenho que comer”;
  • – “Os pesadelos são cada vez mais frequentes e penso nisto o dia todo”;
  • – “Já pensei em formas de desaparecer”;
  • – “Não acredito que a minha vida vá melhorar, estou destinado/a a sofrer”;
  • – “Por mais que tente, não consigo ver nenhuma luz na minha vida”;
  • – “Eu mereço sofrer”;
  • – “Muitas vezes apetece-me beber um copo só para acalmar e dormir melhor”;
  • – “É como se fosse invisível neste mundo, nada do que faço presta”;
  • – “Sinto que tenho diariamente uma nuvem negra por cima de mim”.

 

Como Sair da Depressão

O tratamento da depressão é uma intervenção multidisciplinar. Pelo que será necessário estar disposto/a a fazer mudanças em várias áreas da sua vida. A seguir irei apresentar 6 formas para combater os sintomas de depressão.

 
Em primeiro lugar, deve saber que não está de todo sozinho/a! Pelos mais diversos motivos, muitas pessoas, aliás, milhões de pessoas por todo o mundo encontram-se na sua situação. É normal sentirmo-nos tristes em determinadas situações da nossa vida. No entanto, se estes sentimentos não desaparecem nem atenuam ao fim de duas semanas e se têm impacto clínico noutras áreas do seu dia-a-dia, deve compreender que o primeiro passo é pedir ajuda! É um erro pensar que “isto vai passar”.  Porque já ouviu falar de pessoas que se orgulham de ter conseguido “ultrapassar uma depressão sozinhas sem qualquer ajuda de ninguém”.

 

Para além de cada caso ser um caso, e de o que funciona para uma pessoa não funcionar necessariamente para outra. Muitas vezes esses casos representam depressões mal curadas, ou mascaradas, que mais tarde vêm novamente ao de cima. Procure a ajuda de um psicólogo. Não será fraco. Não será cobarde. Não será o que muita gente que nem sequer está na sua situação lhe poderá dizer. Dará, sim, um grande passo de coragem ao reconhecer que não está bem e que precisa de ajuda. O psicólogo é o profissional de saúde capacitado para o ajudar a sair desta situação. Ele irá avaliar a necessidade de ser encaminhado para medicação. É importante referir que, no caso da depressão, a combinação de psicoterapia ou psicanálise e de medicação aumenta as probabilidades de eficácia do tratamento da depressão. Pelo que, dependendo da sua situação, poderá ser necessário aderir ao tratamento medicamentoso.

 

Estilo de Vida

Em segundo lugar, cuide de si! E se é verdade que já estará a cuidar de si ao procurar um profissional de saúde, é também verdade que existem muitos mais passos que pode dar em direção à sua saúde psicológica.
Faça exercício físico. Não importa qual, desde que seja o seu desporto de eleição. Desde o ioga ao atletismo, há toda uma variedade que poderá experimentar. Inúmeros estudos provam cientificamente que o exercício físico estimula a produção e libertação de endorfinas, substâncias que aumentam o bem-estar e diminuem o stress. Bem como a serotonina, a chamada “hormona da felicidade”, cuja inibição está comummente associada aos sintomas da depressão. Para além disto, de forma indireta, o exercício físico vai melhorar o seu sono e trazer-lhe mais qualidade de vida.

 
Coma bem e de forma regular, optando por uma alimentação saudável. Sabia que existem determinados alimentos que, pelas suas características nutricionais, são poderosos aliados no combate à depressão? Refiro-me a alimentos que estimulam a produção de serotonina, a tal hormona que melhora o bem-estar e o humor, ricos em ómega 3 e vitaminas. Como o salmão, a sardinha, ovos, fruta, entre outros. Informe-se mais sobre este assunto e modifique o seu plano alimentar.

 
Durma pelo menos 8 horas por dia. Não há volta a dar. O sono é um dos pilares mais importantes e fundamentais da nossa saúde física e psicológica. Não é por acaso que existem muitas referências à “fórmula mágica” da felicidade como sendo 8 horas de trabalho, 8 horas de socialização e 8 horas de sono. E é precisamente o equilíbrio que está na base desta fórmula. Desligue-se da tecnologia durante a noite e certifique-se que o seu quarto tem uma temperatura amena e sem luzes a interferir no seu sono. Se tiver dificuldades em dormir, escreva num papel todos os problemas que o/a preocupam e anote potenciais soluções ou o plano a colocar em prática. Para terminar o seu, escreva também todas as coisas positivas que lhe aconteceram nesse dia ou que identifica na sua vida.

 

Relacionamentos

Não menos importante, socialize no verdadeiro sentido da palavra. Socializar não é o mesmo que estar rodeado de pessoas que não lhe acrescentam nada de positivo. Ou que sente como sendo tóxicas pela negatividade que lhe trazem constantemente. O objetivo é rodear-se de pessoas que realmente são uma boa influência para si, desde familiares, colegas ou amigos. Se tiver essa possibilidade, invista também em hobbies ou em atividades que lhe deem prazer. Desfrutando mais da natureza e de animais, que está também provado serem benéficos para o bem-estar psicológico.

 
Apesar de poderem existir dias em que não terá tanta vontade de sair ou de conviver, é importante que tente resistir à tentação de se isolar nesta fase. E que aceite convites que possam surgir ou que tenha a iniciativa de combinar coisas. Da minha experiência, as pessoas referem sentir-se melhor após terem convivo, mesmo quando inicialmente não tinham a maior vontade do mundo.

 

 
Com isto não quero dizer que não deve ter os seus momentos. Alguém que está bem é também alguém que retira prazer dos momentos na sua própria companhia, logo, são vivamente recomendados! Sobretudo se forem momentos de relaxamento ou de atividades mais calmas.

 

 

Como ajudar uma pessoa com Depressão

Se conhece alguém que se enquadra nos critérios e com os sintomas da depressão mencionados  neste artigo e que acha que pode estar a sofrer de depressão. Saiba que pode fazer algumas coisas que poderão ter um impacto positivo.

 

 
Em primeiro lugar, encoraje-a a pedir ajuda a um psicólogo ou até ajudando nessa mesma pesquisa. Prepare-se para nem sempre a pessoa estar recetiva à sua ajuda e deve respeitar o seu ritmo. Contudo, há palavras de incentivo que poderá dar. No sentido de mencionar que a pessoa em questão terá certamente diversas qualidades que podem não estar a ser aproveitadas pelo facto de a pessoa não aceitar ajuda. Se tiver conhecimento, dê exemplos de pessoas que conhece ou de que ouviu falar que estiveram na mesma situação e que depois de procurarem ajuda psicológica conseguiram recuperar as suas vidas.

 

 
Se sentir que, ainda assim, a pessoa não está recetiva a aceitar a ajuda profissional, não desanime. Convide-a para sair ou para fazerem algo em conjunto, seja um convívio, seja uma atividade desportiva ou um passeio ao ar livre. Até pode ficar com a sensação que a pessoa não se está a divertir. No entanto, com base em relatos de pessoas que acompanhei e que acompanho nesta situação, no final do dia o balanço acaba por ser positivo.

 
Por fim, estando ou não nesta situação, lembre-se que existem vários passos a dar que tornam possível a saída da depressão. Pelo que ao contrário do que possa pensar, uma pessoa com depressão não tem que conviver com ela eternamente.

 

Veja ainda o artigo sobre Como Lidar Com a Ansiedade. Nele encontrará um teste de ansiedade, quais os sintomas da ansiedade e qual o tratamento para a ansiedade.

 

Always look on the bright side of life!

 

Fontes
Portugal Saúde Mental em números, 2015”, DGS 2016
Depressão e outras perturbações mentais comuns”, DGS 2016

Cristina Reis – Psicóloga WeCareOn